– PRECE DE NATAL


Senhor Jesus!…
Recordando-Te a vinda, quando Te exaltastes na manjedoura por luz nas trevas, vimos pedir-Te a benção.
Revela-nos se muitos de nós trazemos saudade e cansaço, assombro e aflição, quando nos envolves em torrentes de alegria.
Sabes, Senhor, que temos escaldo culminâncias… Possuímos cultura e riqueza, tesouro e palácios, máquinas que estudam as constelações e engenhos que voam no Espaço! Falamos de Ti – de ti que volveste dos continentes celestes, em socorro dos que choram na poeira do mundo, no tope dos altos edifícios em que amontoamos reconforto, sem-coragem de estender os braços aos companheiros que recolhias no chão…
Destacamos a excelência de Teus ensinos, agarrados ao supérfluo, esquecidos de que não guardaste uma pedra em que repousar a cabeça; e, ainda agora, quando Te comemoramos o natalício, louvamos-Te o nome, em torno da mesa farta, trancando inconscientemente as portas do coração aos que se arrastam na rua!
Nunca tivemos, como agora, tanta abastança e tanta penúria, tanta inteligência e tanta discórdia! Tanto contraste doloroso, Mestre, tão só por olvidarmos (esquecermos) que ninguém é feliz sem a felicidade dos outros… desprezamos a sinceridade e caímos na ilusão, estamos ricos de ciência e pobres de amor. É por isso que, em Te lembrando a humildade, nós te rogamos para que nos perdoes e ames ainda… Se algo Te podemos suplicar além disso, desculpa o nada que Te ofertamos, em troca do tudo que nos dás e faze-nos mais simples!…
Enquanto o Natal se renova, restaurando-nos a esperança, derrama o bálsamo de Tua bondade sobre as nossas preces, e deixa, Senhor, que venha a ouvir de novo, entre as lágrimas de júbilo que nos vertem a alma, a sublime canção com que os Céus Te glorificam o berço de palha, ao clarão das estrelas:
— Glória a Deus nas alturas, paz na Terra, boa vontade para com os homens!

Do Livro: Antologia Mediúnica do Natal
Emmanuel /Francisco Candido Xavier.